Quem somos

A REBRAPAZ é uma iniciativa sem precedentes no Brasil, ao integrar instituições públicas e privadas, civis e militares que trabalham com pesquisa e ensino sobre operações de paz. E, em cerca de cinco anos, é significativo o sucesso deste grande esforço coletivo. Entre março de 2016 e outubro de 2020, o número de instituições formalmente envolvidas cresceu de 6 para 15. No mesmo período, os parceiros da REBRAPAZ coorganizaram cerca de 20 seminários, lançaram em co-autoria mais de 50 publicações e fizeram palestras em vários workshops. São produtos que não existiram sem a REBRAPAZ. Além das instituições, em abril de 2021, contamos com o apoio de oito especialistas associados, profissionais da mais alta estirpe que agregam valor e peso reputacional à nossa Rede. Este resultado expressivo, alcançado em tão pouco tempo, reforça a capacidade da REBRAPAZ de contribuir, efetivamente, para a geração de conhecimento de qualidade sobre operações de paz no Brasil e, assim, cumprir a sua missão.

Em abril de 2021, a REBRAPAZ conta com 23 parceiros, sendo 15 instituições e 8 especialistas associados:

MEMBROS PLENOS:

OBSERVADORES:

ESPECIALISTAS ASSOCIADOS:

  • Eduarda Hamann (FEV2020)
  • Áureo Toledo (FEV2020)
  • José Ricardo Vendramin Nunes (MAR2020)
  • Bia Albernaz (SET2020)
  • Vinícius Mariano de Carvalho (OUT2020)
  • Luiz Fabiano Mafra Negreiros (OUT2020)
  • Gustavo de Carvalho (FEV2021)
  • Henrique Garbino (ABR2021)

COORDENAÇÃO GERAL DA REBRAPAZ:

Desde 2016, a Coordenação Geral tem sido liderada pela Dra Eduarda Hamann, que, há mais de 20 anos, trabalha com pesquisa e ensino sobre operações de paz. Em 2021, também integram a Coordenação Geral duas pesquisadoras voluntárias, na condição de assistentes: Diana Viveiros e Fernanda Righetto.


Definições, segundo o Estatuto:

MEMBRO PLENO – instituição que contribui de maneira inequívoca aos objetivos principais da Rede, ou seja, com a efetiva participação em atividades de pesquisa e/ou de ensino capazes de produzir capacidades e conhecimentos relevantes e de qualidade sobre operações de paz, junto com a divulgação dos resultados (por meio da elaboração de textos acadêmicos ou de policy, da realização de cursos e/ou da organização de eventos que visam a divulgar os resultados alcançados);

OBSERVADOR – instituição que acompanha as atividades dos grupos de trabalho de sua escolha, mas não precisa participar ativamente das pesquisas nem da elaboração de textos ou coordenação de eventos para divulgar os resultados;

APOIADOR – instituição que cede suas instalações, sem contrapartida, para realização de eventos da Rede; oferece mailing list para divulgação dos resultados da pesquisa da Rede; faz articulação para promover as atividades da Rede; financia produtos (no todo ou em parte) da Rede, entre outras modalidades de apoio.